segunda-feira, fevereiro 28, 2011

Heal...

Sometimes, 
What People Need To Hear, 
Are Simple Words Which Can Heal...

PS: "Sejam Felizes!"

sábado, fevereiro 26, 2011

sexta-feira, fevereiro 25, 2011

Uma árvore...


Uma Árvore sem folhas, não deixa de ser uma Árvore...
Está apenas numa fase de regeneração.
PS: "Sejam Felizes!"

terça-feira, fevereiro 22, 2011

Genial!!!


Li agora isto no Blog do Fernando Alvim, e apeteceu-me partilhar convosco...
Fenomenal...


PS: "Sejam Felizes!"

domingo, fevereiro 20, 2011

Happy Birthday

A noite de 19/20 de Fevereiro de 2011 ficou marcada, na minha memória... Ficará para sempre.
Fiz 22 anos e como tal fiz uma festinha em casa, como de costume, que se tornou num festão =o)
Os amigos estavam todos cá, todas as pessoas significativas na minha vida estavam cá...
Uma imensa mesa, em que eu me encontrava na cabeceira e era daí que tinha a melhor visão de todas. Sabem quando vos dizem: "Olha para a frente rapaz!" ? Ontem fez sentido... ao olhar para a frente via todos aqueles amigos que estiveram sempre lá. Nos bons e maus momentos.
Fui invadido por abraços sentidos, apertados... daqueles que aquecem! Fui bombardeado de mensagens no facebook de parabéns, recebi poucas mensagens de telemóvel, mas de pessoas importantes e que não estavam presentes na festa. Foi um dia de mimo. Daqueles dias que de vez em quando faz falta...
Assim, digo-vos aqui, a todos que me lêem, que tive uma noite feliz!
Aos que me lêem e são meus amigos pessoais, Obrigado, do fundo do coração, por esta noite e pela vossa presença e pelo vosso abraço!
A todos os outros amigos que não me lêem resta-me aqui deixar-lhe os mesmos agradecimentos que fiz aos amigos que me lêem. Pode ser que um dia descubram este meu cantinho, e esta parte da minha vida.
Um beijo/abraço,
João Lopes 
PS: "Sejam Felizes!"

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

The Fray - Hapiness

My favourite song... ever!



"Happiness is like the old man told me
Look for it, but you’ll never find it all
But let it go, live your life and leave it
Then one day, wake up and she’ll be home"




PS: "Sejam Felizes!"

quinta-feira, fevereiro 17, 2011

O principezinho...



"-Olá, bom dia!-disse a raposa
-Olá, bom dia!-responde educadamente o principezinho, que se virou para trás mas não viu ninguém.
-Estou aqui, debaixo da macieira-disse a voz.
-Quem és tu?-perguntou o principezinho- És bem bonita...
-Sou uma raposa-disse a raposa.
-Anda brincar comigo-pediu-lhe o principezinho.-Estou tão triste...
-Não posso ir brincar contigo-disse a raposa.-Ainda ninguém me cativou...
-Ah! Então, desculpa!-disse o principezinho.
Mas pôs-se a pensar, a pensar, e acabou por perguntar:
-"Cativar" quer dizer o quê?
-Vê-se logo que não és de cá-disse a raposa-De que andas tu à procura?
-Ando à procura dos homens-disse o principezinho.-"Cativar" quer dizer o quê?
-Os homens têm espingardas e passam o tempo a caçar-disse a raposa.- É uma grande maçada! E também fazem criação de galinhas. Aliás, na minha opinião, é o único interesse deles. Andas à procura de galinhas?
-Não- disse o principezinho.- Ando à procura de amigos. "Cativar" quer dizer o quê?
-É uma coisa de que toda a gente se esqueceu-disse a raposa.- Quer dizer "criar laços"...
-Criar laços?
-Sim, laços-disse a raposa.- Ora vê: por enquanto tu não és para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti. E t também não precisas de mim. Por enquanto eu não sou para ti senão um araposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti...
-Parece-me que estou a perceber- disse o principezinho.-Sabes, há um acerta flor... tenho a impressão que ela me cativou...
(...)
-Tenho uma vida terrivelmente monótona. Eu caço galinhas e os homens caçam-me a mim. As galinhas são todas parecidas umas com as outras e os homens são todos parecidos uns com os outros. Por isso, às vezes, aborreço-me muito. Mas, se tu me cativares, a minha vida fica cheia de sol. Fico a conhecer uns passos diferentes de todos os outros passos. Os outros passos fazem-me fugir para debaixo da terra. Os teus hão-de chamar-me para fora da toca, como uma música. E depois, repara! Estás a ver aqueles campos de trigo ali adiante? Eu não gosto de pão e, por isso, o trigo não me serve para nada. Os campos de trigo não me fazem lembrar nada. E é uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Então, quando tu me tiveres cativado, vai ser maravilhoso! O trigo é dourado e há-de fazer-me lembrar de ti. E hei-de gostar do som do vento a bater no trigo...
A raposa calou-se e ficou a olhar para o principezinho durante muito tempo.
-Se fazes favor... Cativa-me!- acabou finalmemte por pedir.
-Eu bem gostava- respondeu o principezinho,- mas não tenho muito tempo. Tenho amigos para descobrir e uma data de coisas para conhecer...
-Só conhecemos o que cativamos- disse a raposa.- Os homens deixaram de ter tempo para conhecer o que quer que seja. Compram as coisas já feitas aos vendedores. Mas como não há vendedores amigos, os homens deixaram de ter amigos. Se queres um amigo, cativa-me!
-E tenho de fazer o quê?- disse o principezinho.
-Tens de ter muita paciência. Primeiro, sentas-te longe de mim, assim, na relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas podes sentar-te cada dia um bocadinho mais perto...
O principezinho voltou no dia seguinte.
-Era melhor teres vindo à mesma hora- disse a raposa.
-Por exemplo, se vieres às quatro horas, às três, já eu começo a estar feliz. E quanto mais perto for da hora, mais feliz me sinto. Às quatro em ponto hei-de estar toda agitada e toda inquieta: fico a conhecer o preço da felicidade! Mas se chegares a uma hora qualquer, eu nunca vou saber a que horas hei-de começar a arranjar o meu coração, a vesti-lo, a pô-lo bonito...
Precisamos de rituais.
(...)
E o principezinho cativou a raposa. Mas quando se aproximou a hora da despedida:
-Ai!- suspirou a raposa- Ai que me vou pôr a chorar...
-A culpa é tua- disse o principezinho.- Eu não te desejava mal nenhum, mas tu pediste para eu te cativar...
-Pois pedi- disse a raposa.
-Mas agora vais-te pôr a chorar!- disse o principezinho.
-Pois vou- disse a raposa.
-Então não ganhaste nada com isso!
-Ai ganhei, sim senhor!- disse a raposa.- Por causa da cor do trigo... "

"O Principezinho" de Antoine De Saint-Exupéry


PS: "Sejam Felizes!"

terça-feira, fevereiro 08, 2011